Cerveja + Rock/Metal Progressivo

Música e cerveja, a combinação perfeita (parte 5)

A combinação entre música e cerveja por muitas vezes vai além de uma banda fazer uma música sobre o assunto ou produzir uma cerveja que leva o rótulo dela.  Há outras maneiras de associarmos estes dois assuntos, por isso que irei falar um pouco sobre a mistura entre o Rock/Metal Progressivo com o que considero ser a combinação perfeita com cerveja.

 Música e cerveja

Música e cerveja - Rock/Metal Progressivo

Música e cerveja – Rock/Metal Progressivo

Rock Progressivo

Primeiramente vou me focar em apresentar um pouco mais sobre o que é o estilo musical “progressivo” que poucas pessoas conhecem diretamente.

O Rock progressivo surgiu na década de 70 com fortes influências da música clássica e do Jazz, contrariando o bom e velho rock and roll que é baseado no Blues. O progressivo tem como características principais elaboradas melodias com complexas harmonias. Não é difícil encontrar longas composições dentro do Rock progressivo, músicas com 8 minutos, 10 minutos e até mais são comuns dentro do estilo.

Levadas estas considerações, alguém conhece uma banda que se encaixa nestas características? Bom, caso não venha nenhuma em mente, cito aqui precursores do estilo: Pink Floyd, Yes e posterior a banda Rush.

As letras das músicas (nem sempre há, pois músicas instrumentais são bastante utilizadas) abordam temas ficção científica, fantasia, religião, guerra, amor, loucura e história.

Metal Progressivo

Considerando os fatos acima e sob forte influência da banda Rush surge o Metal progressivo. A diferença mais marcante entre o Rock e o Metal são as guitarras com distorções mais pesadas e por vezes vocais mais fortes também. Uma banda em especial é a mais aclamada no estilo atualmente, tendo instrumentistas extremamente técnicos (quem sabe os melhores do mundo em cada instrumento) é o Dream Theater.

Além da complexidade das duas melodias, mudanças de ritmos constantes nas músicas existe também a elaboração de álbuns conceituais. Há quem considere Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band, lançado em 1967 pelos Beatles como sendo o primeiro álbum conceitual criado, porém há quem contrarie esta opção. A maior característica quando falamos de criações conceituais é que eles contam uma mesma história durante todas as músicas e não há intervalo entre as faixas, algo que convenhamos não é nada fácil de elaborar.

Ótimos exemplos de álbuns conceituais são The Dark Side of the Moon e  The Wall do Pink Floyd e Metropolis Pt. 2: Scenes from a Memory do Dream Theater e Poets and Madmen do Savatage.

Cerveja + Rock/Metal Progressivo

A ideia de criar o post nasceu pela complexidade que há entre estas duas variáveis. Escutar música progressiva te leva a outro mundo, onde cada instrumento é uma peça essencial em cada nota executada. A cerveja é a mesma coisa, cada ingrediente precisa fazer o seu papel de forma perfeita para que seja fielmente harmonizado.

Cada cerveja degustada é um mundo de novos aromas, sensações, formas que se abrem ao olhos e demais sentidos e a música me faz ter essa mesma sensação. A cada música/cerveja uma nova sensação nasce e precisa ser apreciada da melhor maneira.

Um brinde a estas pessoas capazes de despertar os melhores sentidos da vida através da arte, seja ela a música ou a cerveja!

Fonte: Rock Progressivo

Luis Fuenzalida Calderón
Follow me

Luis Fuenzalida Calderón

Chileno de sangue e coração, brasileiro por opção. Programador por profissão e apreciador de cervejas e degustação. Apenas mais um tatuado cabeludo que gosta de rock and roll e todas suas vertentes, extremas ou não.
Luis Fuenzalida Calderón
Follow me
Loading Facebook Comments ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *